quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

TUA AUSÊNCIA

Pensando em teus beijos meus versos componho
As letras exalam do amor a fragrância
Perante a saudade que gera a distância
A voz de minh'alma traduzo tristonho

Da verve prolífica é fonte essa ausência
Envolto n'angústia divago sozinho
Que falta tu fazes aqui neste ninho
N'outrora recanto de riso há dolência

Da senda das trevas me torno um passante
Olhar no horizonte deveras perdido
Degusto, sem norte, esse fel torturante

Cultivo o desejo dum breve regresso
Devolvas, paixão, meu jardim colorido
Habitas em mim, sempre e sempre, confesso

Um comentário:

  1. Parabens,por mais esta maravilha de soneto,jerson!Abraços
    Alga

    ResponderExcluir