quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

MÁGICO LICOR

Os lábios sequiosos, meu amor
Procuram a delícia inebriante
Oh, fada, em ti encerras o licor
Que rega essa quimera a todo instante

Estás no meu presente, no porvir
Nos quadros mais alegres que ora pinto
És personagem sempre a colorir
Loucuras produzidas pelo instinto

Pulsátil sentimento neste olhar
Confessa haver cobiça em minha mente
Exalo regozijo ao mergulhar
No mar dessa paixão efervecente

Quão lauta se apresenta tal magia
Estar contigo embala e me alivia

Um comentário:

  1. Gostei dos seus sonetos, Jerson. Inspiração não lhe falta. Abraços!

    ResponderExcluir